sábado, 25 de junho de 2011

Enviesamento

Querer-te na submissão submissa de um regaço
Desejar-te na rebelião passiva de um abraço
Enviesar-me na distância de um tempo comprido
Promessa regular de um suspiro gemido.

Parca de ideias, deixo-me elevar
Na sentinela reforçada do momento
Em que o poema se faz rimar
E em versos absortos ergue-se o esqueleto.

Deixo-me cobiçar pela prontidão da lividez
Incolor rosto de escrita irregular
Corpo poético deixado na rigidez
De uma estética quase peculiar.

Natália Bonito

3 comentários:

Vóny Ferreira e outros poetas neste blog : http://vonyfereeira.blogspot.com/ disse...

Um poema envolvente Natália.
Abraço,
Vóny Ferreira

Nota: os meus blogs

SONHO: http://vony-ferreira.blogspot.com/
RECANTO MÁGICO ONDE TE ESPERO...http://vonyfereeira.blogspot.com/
LEIO-TE POESIA... ATÉ QUE MORRAS EM MIM!
http://vonyferreira.blogspot.com/

Ana Coelho disse...

Um bom poema, gostei também do todo do blogge parabéns

Beijos

Dário Rodrigues disse...

Gostei do que li... Serei teu seguidor... Beijo...